Saiba os cuidados ao fazer uma junção com nomes dos pais

Escolher um nome de bebê que já existe, é sempre bom, afinal, quando o nome é popular e que possui uma boa sonoridade, os pais não precisam nem se preocupar, pensando que o filho não vai gostar quando crescer, pois a maioria das crianças batizadas com nomes comuns, elas ficam super orgulhosas.

Aqui em nosso País, é bastante comum os pais registrar seus filhos com nomes populares, nomes evangélicos, nomes compostos ou até mesmo alguns nomes diferentes.

Também é comum a criação de junção de nomes, que muitos pais costumam fazer e colocar em seus filhos. Certamente, você já deve de ter visto várias crianças com nomes herdados dos pais, com meio nome do pai e meio nome da mãe.

Veja um exemplo de uma junção de nome dos pais:

Se por exemplo, o pai se chama Adriano e mãe Eliana, pegando o início do nome do pai “adri” e o início do nome da mãe “eli”, forma o nome feminino Adrieli.

A junção também pode ser feita com o início ou final dos nomes, ou com o início e final, como por exemplo:

Se a mãe tem o nome de Luisa e o pai de Elio, vai formar o nome Isael. Isso porque pegou o final do nome da mãe “isa” e o início do nome do pai “el”.

Este exemplo que foi visto acima, sem dúvida, os nomes formaram uma boa junção, mas é importante os pais se lembrar que nem todos os nomes formam uma junção criativa.

Então fica a dica, se o nome dos pais oferecer uma boa junção, formando um nome já usual, que seja fácil de escrever, de lembrar ou de se pronunciar, lembrando também se o significado for positivo, certamente, os pais não vão ter problemas com o cartório de registro. Sendo assim, a criança também ficará muito contente quando crescer.

Acompanhe abaixo, um exemplo quando os nomes dos pais não oferecem uma boa junção:

Por exemplo, tem um casal com os nomes de Marcos e Joana, se eles for ter um bebê e por nela um nome com a junção dos nomes deles, certamente, vai formar o nome “Marjoan”, que herda o início do nome do pai “mar” de Marcos e o início do nome da mãe “joan” de Joana. Sem dúvida, não gerou uma boa junção, apenas surgiu um nome inusitado.

Como foi visto no exemplo acima, se os nomes dos pais não combinam juntos e surgir um nome desconhecido, é aconselhável procurar por outro nome, que seja mais conhecido e que tenha uma boa sonoridade. Fazendo isso, os pais vão está agindo dentro da lei de registro. Pensar no bem da criança, obviamente, é bastante importante. Por tanto, nada de colocar nelas nomes estranhos que geram constrangimentos.

Segundo com a lei de registro público de nosso País, o registro de um nome pode ser negado em casos em que possam constranger ou expor a pessoa ao ridículo. Neste caso, o pedido é encaminhado à Justiça, que determina se a criança pode ou não receber aquele nome. Por isso, é necessário adotar um nome que a lei de registro possa está de acordo, para que no futuro, seu filho não venha sofrer nenhum tipo de bullying ou outro tipo de constrangimento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *